EXAMES E SERVIÇOS

Os equipamentos utilizados para a realização dos exames contam com alta tecnologia e uma equipe de multiprofissionais amplamente qualificados.

Esta estrutura permite que realizemos mais de 1.000 tipos de exames relacionados.

 

Buscar exames

Mnemônico + -
Descrição + -

Utilidade


O alumínio é um elemento não essencial, então considerado tóxico, porém de grande apreciação clínica como antiácido estomacal e como agente quelante de fosfato para pacientes em tratamento de diálise. As vias de absorção são: inalatória, oral, via dérmica e parenteral (principalmente em pacientes com insuficiência renal crônica em tratamento de hemodiálise, devido à presença de alumínio nas soluções). Os rins são a principal via de eliminação de alumínio derivado da ingestão. Os principais efeitos tóxicos do Al são no SNC e no metabolismo ósseo. O Ministério da Saúde define como critério de avaliação, que o alumínio deva ser monitorado pelo menos uma vez ao ano. Os valores de referência para pacientes em hemodiálise e para trabalhadores expostos, não devem ser comparados, porque os compostos de alumínio não são os mesmos. O problema da contaminação já existe a partir da coleta da amostra em função do tipo de recipiente para a armazenagem, limpeza do mesmo e da presença de partículas de poeira no ar. Às amostras de sangue acrescentam-se ainda traços de alumínio provenientes da pele do paciente, da utilização de agulhas e seringas e, quando necessário, da utilização de agentes anticoagulantes. As principais fontes de contaminação são recipientes, reagentes e partículas provenientes do ar. Recipientes de vidro são contra-indicados devido à presença do óxido de alumínio.


Material


Soro


Instruções


- Em caso de pacientes que fazem hemodiálise a coleta deve ser realizada precedendo a sessão de diálise, antes da heparinização do paciente, ao final do maior período interdialítico ou conforme orientação médica.
- Jejum não obrigatório.


DOWNLOAD PDF
 

Utilidade


O alumínio é o metal mais abundante e o terceiro elemento mais abundante depois do oxigênio e do silício. É um metal leve, prateado, empregado na produção de ligas de cobre, zinco, na purificação de água e açúcar, em cosméticos, em refratários, vidros, abrasivos, tintas, fundição, barcos, fiação elétrica, entre outros. Os mecanismos que protegem contra o acúmulo de alumínio (excreção renal e barreira gastrointestinal) estão ausentes nos pacientes submetidos à diálise ou são altamente exigidos pela ingestão de doses farmacológicas de sais de alumínio com a finalidade de quelar o fósforo enteral. As consequências clínicas da intoxicação por alumínio nos pacientes submetidos à diálise incluem síndrome neurológica, doença óssea induzida por alumínio, miopatia e anemia. Acompanhar regularmente os níveis séricos de alumínio são recomendações que limitam a ocorrência da toxicidade pelo alumínio nos pacientes submetidos à diálise.


Material


Urina Isolada


Instruções


- Medicamentos que apresentem alumínio em sua composição devem ser evitados.
- Coletar urina do início do último dia da jornada de trabalho (recomenda-se evitar o primeiro dia de jornada da semana). Manter amostra refrigerada desde o momento da coleta.


DOWNLOAD PDF
 

Utilidade


A amilase é uma enzima excretada pelo pâncreas, sensível no diagnóstico de pancreatite aguda. Eleva-se 12 horas após o início da
pancreatite e persiste por 3 a 4 dias. Valores três a cinco vezes acima do nível normal são considerados significativos. Níveis elevados
também são encontrados em tumores periampulares, caxumba, úlcera péptica perfurada, obstrução e infarto intestinal,
colecistopatias sem pancreatite, cirrose hepática, aneurisma de aorta, apendicite, traumas, queimaduras, uso de colinérgicos, meperidina e morfina. Hipertrigliceridemia pode causar resultados falsamente baixos.



Material


SANGUE


Instruções


- Jejum não obrigatório.
- A coleta deve ser realizada no período da manhã, até as 11:30 horas.


DOWNLOAD PDF
 

Utilidade


A medição da alfa-amilase na urina é utilizada no diagnóstico de pancreatite aguda onde encontra-se elevada, e das macroamilasemias onde encontra-se diminuída. No diagnóstico de pancreatite, no entanto não tem elevada especificidade visto que seus níveis aumentam também na insuficiência renal, perfuração duodenal, uso de grandes doses de corticoides, após cirurgia abdominal, câncer pancreático e hemoglobinúria (presença de hemoglobina na urina em concentrações anormalmente altas).


Material


Urina


Instruções


Coletar em fraso apropriado preferencialmente a primeira urina da manhã ou com intervalo mínimo de 4 horas após a última miccção. Desprezar o primeiro jato de urina e sem interromper a miccção, coletar o jato médio.


DOWNLOAD PDF
 

Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


DOWNLOAD PDF
 

Utilidade


A dosagem de aminoacidos na urina é usada para triagem de doenças metabólicas incluindo as determinadas por herança genética. Estas doenças estão, muitas vezes, associadas com problemas mentais, degeneração do sistema nervoso e incapacidade de desenvolvimento.


Material


Urina


Instruções


- Colher primeira urina da manhã ou após retenção urinária mínima de 4 horas.
- Lavar as mãos, fazer higiene da genitália com água e sabão, secar, desprezar o 1º jato de urina e coletar o jato médio em frasco próprio.
- Alguns medicamentos podem interferir na realização do exame: ácido ascórbico, aspartame,aspirina, bactrim e associados, contraceptivos orais, glicose, indometacina, progesterona, testosterona e valproato. Avaliar com o médico solicitante a suspensão do uso da medicação.
- Volume minimo 10,0 mL.
- Para recém nascido até 6 meses, volume mínimo é de 5 mL.
- Obrigatório preenchimento pelo médico do Questionário para investigação de Erros Inatos do Metabolismo.


DOWNLOAD PDF
 

Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.
- Colher 12 horas após a última dose do medicamento.


DOWNLOAD PDF
 

Material


Soro (Trace Branco)


Instruções


- A coleta deve ser realizada imediatamente antes da administração da próxima dose ou conforme orientação médica.
- Jejum não obrigatório.


DOWNLOAD PDF
 

Utilidade


O interesse clínico em relação a androstenediona, refere-se ao fato dessa ser frequentemente elevada em casos de crescimento anormal de pêlos (hirsutismo) e de virilização. Seus níveis plasmáticos aumentam constantemente a partir aproximadamente do sétimo ano de vida, começando a diminuir gradualmente após os trinta anos. A androstenediona apresenta uma variação diurna, tendo o nível mais elevado de manhã, bem como uma variação cíclica durante o período menstrual, apresentando níveis mais elevados perto do meio do ciclo. Durante a gravidez observa-se um aumento nos níveis plasmáticos. Deve- se correlacionar os níveis de androstenediona com S-DHEA, DHEA e Testosterona, pois é comum ter todo o perfil diminuído ou aumento.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.
- Evitar a realização de atividade física antes de coletar o exame.


DOWNLOAD PDF
 

Utilidade


Elevações desta enzima associadas ao quadro clínico, radiológico e a
biópsia com granulomas não caseosos sugerem sarcoidose. Essa dosagem
possui sensibilidade de 30 a 80% no diagnóstico da sarcoidose. Níveis
baixos podem ser encontrados em pacientes em uso de corticóides e
antihipertensivos inibidores da ECA. Níveis elevados também podem ser
encontrados na doença de Gaucher, diabete melito, hanseníase,
amiloidose, doença hepática alcoólica, cirrose biliar primaria,
mieloma, hipertireoidismo, asbestose, silicose e psoríase.


Material


Soro


Instruções


Jejum não obrigatório.


Utilidade


Os anticorpos anti-Saccharomyces cerevisiae (ASCA), juntamente com anticorpos anti-neutrófilos (pANCA), encontram-se entre os dois marcadores mais úteis e muitas vezes discriminante para a colite. ASCA tende a reconhecer a doença de Crohn com mais frequência, ao passo que pANCA tendem a reconhecer colite ulcerativa. Ambas as doenças causam inflamação intestinal, mas possuem diferentes quadros clínicos e opções terapêuticas. A doença de Crohn geralmente afeta a porção distal do intestino delgado, podendo também afetar alguma outra parte do trato digestivo. A inflamação é assimétrica e segmentada, aprofundando-se nos tecidos afetados. Na retocolite ulcerativa, a inflamação é confinada ao colo e reto, é simétrica e contínua desde o reto proximal, e envolve as camadas mais altas de revestimento do colo e reto. Os Anticorpos Anti-Saccharomyces cerevisiae IgG e IgA são encontrados com prevalência significativamente maior em pacientes com doença de Crohn (60 a 70%) do que em pacientes com retocolite ulcerativa (10 a 15%).


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


DOWNLOAD PDF
 

Utilidade


O teste de anticorpos citoplasmáticos anti-neutrófilos (ANCA) revolucionou o diagnóstico e o tratamento das várias vasculites autoimunes. Os auto-anticorpos perinucleares (pANCA) e citoplasmáticos (cANCA) são comprovadamente úteis na detecção de doenças como a granulomatose de Wegener, tríade que se caracteriza por inflamação granulomatosa do trato respiratório superior e inferior, vasculite e glomerulonefrite. Empregado também na pesquisa de poliarterite microscópica, síndrome de Churg-Strauss e glomerulonefrite necrotizante idiopática e na glomerulonefrite.
Existem pelo menos seis antígenos ANCA identificados e muitos ainda não foram identificados. A maioria desses antígenos parece enzimas residentes nos grânulos primários de neutrófilos. Essas enzimas incluem mieloperoxidase (MPO), serina protease 3 (PR3), elastase, lactoferrina, catepsina G e proteína catiônica 57 (CAP-57). Testes ELISA foram desenvolvido para a detecção de muitos dos anticorpos neutrófilos mais importantes, mas a maioria dos especialistas no campo da vasculite auto-imune ainda recomenda que o método de ensaio imunofluorescente (IFI) seja usado para triagem.


Material


Soro


Instruções


Jejum aconselhável de 4 horas.


DOWNLOAD PDF
 

Utilidade


Teste confirmatório para diagnóstico de Lupus Eritematoso Sistêmico; monitoramento terapêutico. Pessoas normais geralmente apresentam-se não reagentes ou mesmo fracamente reagentes para anti-DNA.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


DOWNLOAD PDF
 

Utilidade


Teste útil para o diagnóstico e monitorização do tratamento da Doença Celíaca (DC) e da dermatite herpetiforme. Endomísio é uma bainha de fibrilas reticulares que envolvem as fibras da musculatura lisa. Na DC, a ingestão de glúten leva à produção de anticorpos IgG e IgA anti- gliadina e anticorpos anti-endomísio. Os anticorpos anti-endomísio são mais específicos e sensíveis que a anti-gliadina, sendo detectados em 87 a 98% dos pacientes com DC e 1% de pacientes normais. Após início de terapia de restrição de glúten, títulos de anti-endomísio começam a decair em 6 a 12 meses. O padrão ouro para diagnóstico de DC.


Material


Soro


Instruções


Jejum não obrigatório.


Utilidade


Teste útil para o diagnóstico da Doença Celíaca (DC). Endomísio é a camada de tecido conjuntivo, composta por fibras reticulares,
que reveste cada fibra muscular. Pacientes com DC produzem anticorpos anti-endomisio (anti-EMA) das classes IgA, IgG e IgM. O antígeno reconhecido pelo anti-EMA é a enzima transglutaminase tecidual 2 (TG2). Os anticorpos anti-EMA são marcadores sensíveis e específicos da DC. São ligeiramente menos sensíveis, mas são mais específicos que os anticorpos anti-TG2. Pacientes com resultados reagentes de anti-EMA devem realizar a biópsia intestinal, que é o exame padrão ouro para diagnóstico de DC.


Material


Soro


Instruções


Jejum não obrigatório.


Utilidade


Teste útil para o diagnóstico e monitorização do tratamento da Doença
Celíaca (DC) e da dermatite herpetiforme. Endomísio é uma bainha de
fibrilas reticulares que envolvem as fibras da musculatura lisa. Na
DC, a ingestão de glúten leva a produção de anticorpos IgG e IgA anti-
gliadina e anticorpos anti-endomísio. Os anticorpos anti-endomísio são
mais específicos e sensíveis que a anti-gliadina, sendo detectados em
87 a 98% dos pacientes com DC e 1% de pacientes normais. Após início
de terapia de restrição de glúten, títulos de anti-endomísio começam a
decair em 6 a 12 meses. O padrão ouro para diagnóstico de DC é a
biópsia intestinal.


Material


Soro


Instruções


Jejum não obrigatório.


Utilidade


Teste útil para diagnostico e monitorização do tratamento da Doença
Celíaca (DC) e da Dermatite Herpetiforme. Na DC, a ingestão de gluten
leva à produção de anticorpos IgG e IgA anti-gliadina e
anticorpos anti-endomísio.Resultado negativo não afasta completamente
DC. Apresentam sensibilidade e especificidade inferior ao anti-
endomísio. A detecção de anti-gliadina IgG e importante, pois 10% dos
pacientes portadores de DC tem deficiência congênita de IgA. Anti-
gliadina IgA esta presente em 75 a 90% dos casos de DC. Anti-gliadina
IgG esta presente em 69 a 85% dos pacientes com DC e 29% de indivíduos
sem a doença. A dosagem de anti-gliadina IgM não agrega poder
diagnóstico. Redução dos títulos de gliadina ocorrem em meses após o
inicio da restrição dietética. O padrão ouro para diagnostico de DC e
a biópsia intestinal.


Material


Soro


Instruções


Jejum obrigatório de 8 horas.


Utilidade


Teste útil para diagnostico e monitorização do tratamento da Doença Celíaca (DC) e da
Dermatite Herpetiforme. Na DC, a ingestão de gluten leva à produção de anticorpos IgG e
IgA anti-gliadina e anticorpos anti-endomísio.Resultado negativo não afasta completamente
DC. Apresentam sensibilidade e especificidade inferior ao anti- endomísio. A detecção de
anti-gliadina IgG é importante, pois 10% dos pacientes portadores de DC tem deficiência
congênita de IgA. Anti- gliadina IgA esta presente em 75 a 90% dos casos de DC.
Anti-gliadina IgG esta presente em 69 a 85% dos pacientes com DC e 29% de indivíduos sem a
doença. A dosagem de anti-gliadina IgM não agrega poder diagnóstico. Redução dos títulos
de gliadina ocorrem em meses após o início da restrição dietética. O padrão ouro para
diagnostico de DC e a biópsia intestinal.


Material


Soro


Instruções


Jejum obrigatório de 8 horas.


Utilidade


Diagnóstico de doença celíaca. 


Material


Soro


Instruções


Jejum não obrigatório.


Utilidade


A infecção pelo HIV 1 e 2 leva a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida - SIDA. Testes de triagem como CLIA, ECLIA ou ELFA devem confirmados por ensaios mais específicos (Western Blot ou imunofluorescência). Falso-positivos podem ocorrer em testes imunoenzimáticos nos pacientes com anticorpos anti-HLA DR4, outras viroses, vacinados para influenza, hepatites alcoólicas, portadores de distúrbios imunológicos, neoplasias, multíparas e politransfundidos. Filhos de mãe HIV positivo tem anticorpos maternos, não sendo, pois, a sorologia definitiva no diagnóstico. Os testes imunoenzimáticos tem sensibilidade e especificidade em torno de 98%. Indivíduos de alto risco, com um teste enzimático positivo, tem valor preditivo positivo de 99%. Assim, testes imunoenzimáticos positivos de forma isolada, não podem ser considerados como diagnóstico de infecção pelo HIV, sendo necessária a realização do Western Blot como teste confirmatório. Pacientes com fase avançada da doença podem não apresentar reatividade ao Western Blot. Cerca de 20% da população normal não infectada apresentam resultados indeterminados no Western Blot. A Portaria No. 29, de 17 de dezembro de 2013 (Ministério da Saúde) normatiza o diagnóstico sorológico da infecção pelo HIV em adultos e crianças.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.
- Devido à possibilidade de resultados falso-positivos para a sorologia de Anti HIV 1 e 2 em pacientes recentemente vacinados para o influenza H1N1, recomenda-se que seja adotado um intervalo mínimo de 30 dias entre a vacinação e a realização do teste.


DOWNLOAD PDF
 

Utilidade


Relacionado como marcador de polimiosite. Na confirmação de padrão citoplasmático pontilhado fino encontrado na pesquisa de autoanticorpos em Células HEp-2 (FAN). 


Material


Soro


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.
- Intervalo entre mamadas para lactentes.


Utilidade


 Na avaliação de doenças hepáticas de etiologia desconhecida, bem como marcadores de hepatite autoimune do tipo 2. 


Material


Soro


Instruções


Jejum não obrigatório.


Utilidade


A presença de anticorpos anti-mitocôndria (AMA) é uma
característica imunológica da cirrose biliar primaria (CBP), uma
doença colestática intra-hepática crônica, mais frequente em mulheres
entre 30 e 60 anos. Anticorpos anti-mitocôndria (AMA) estão presentes
em cerca de 90% a 95% dos casos. Seus títulos não se correlacionam
com a severidade da doença, não sendo, pois, úteis para monitorização
do tratamento. Não é especifico para cirrose biliar primária, podendo
estar presente em hepatites virais, cirrose hepática e doenças auto-
imunes.


Instruções


Jejum não obrigatório.


Utilidade


Anticorpos antimitocôndria (AMA) são considerados marcadores diagnósticos da cirrose biliar primária (CBP). O alvo antigênico dos AMA são as enzimas do complexo 2-oxo-ácido desidrogenase (antígeno M2). Os antígenos específicos foram identificados como as subunidades E2 do complexo piruvato desidrogenase (PDC-E2), o complexo 2-oxo-ácido desidrogenase de cadeira ramificada (BCOADC-E2) e o complexo 2-oxo glutarato desidrogenase (OGDC-E2). AMA são tradicionalmente pesquisados pelo método da imunofluorecência indireta (IFI) em substrato composto por cortes histológicos de estômago, fígado e rim de rato, com sensibilidade de 90% e especificidade de 98%. Entretanto, a interpretação da IFI pode ser afetada por fatores como a proficiência do examinador e a presença concomitante de outros autoanticorpos. Os testes de fase sólida, como o ELISA, não sofrem influência dessas variáveis. Os testes ELISA anti-M2 de primeira geração utilizam PDC-E2 como substrato principal para detectar AMA. Enquanto 80-90% dos pacientes com CBP comprovada histologicamente têm anticorpos anti-PDC-E2, cerca de 10% de doentes com CBP apenas reagem a BCOADC-E2 e/ou OGDC-E2. O teste Anti-M2-3E ELISA utiliza como substrato uma mistura do antígeno PDC nativo e de uma proteína de fusão recombinante contendo os epítopos imunodominantes das subunidades E2 dos complexos PDC, BCOADC e OGDC. O ELISA Anti-M2-3E apresenta sensibilidade de 93% e especificidade de 98%, permitindo assim, a identificação adicional de pacientes com CBP e resultados negativos para AMA na IFI.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


Utilidade


Útil para o diagnostico de gastrite atrófica e anemia perniciosa.
Absorção da vitamina B12 (cobalamina) depende da produção do fator
intrínseco pelas células parietais gástricas que também secretam o
ácido clorídrico.
Gastrite autoimune leva à diminuição dos produtos das células
parietais e consequente gastrite atrófica e deficiência de B12 (anemia
perniciosa).
Anticorpos anti-células parietais são encontrados em 90% dos pacientes
com anemia perniciosa.
Valores elevados também podem ser encontrados em úlceras gástricas,
cancer gástrico e Síndrome de Sjögren. Cerca de 7% dos adultos
saudáveis têm esses anticorpos detectáveis.


Material


Soro


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.
- Intervalo entre mamadas para lactentes.


Utilidade


A miastenia gravis (MG) é uma doença neuromuscular caracterizada por fraqueza e fadiga da musculatura esquelética, adquirida e de caráter autoimune em que há comprometimento da transmissão neuromuscular provocado por uma diminuição do número das junções devido a ataque mediado por autoanticorpos, embora os tratamentos disponíveis sejam efetivos, a cura permanece elusiva. Indicação: Considerados testes de segunda linha no diagnóstico de Miastenia Gravis. Recomenda-se sua utilização no caso da triagem inicial negativa realizada com os testes considerados como de primeira linha. 


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


Utilidade


O anticorpo anti-RNP é dirigido contra a fração nuclear das
ribonucleoproteínas (sn-RNP). Aparece em baixos títulos em 30% a 40%
dos pacientes com lúpus eritematoso sistêmico, lúpus discóide, AR,
Síndrome de Sjogren e lúpus induzido por droga. Altos títulos de RNP,
na ausência de anti-Sm, são fortemente sugestivos de doença mista do
tecido conjuntivo, em 95% a 100% dos casos. Há uma
menor prevalência de acometimento renal em pacientes com este auto-
anticorpo.


Material


Soro


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.
- Intervalo entre mamadas para lactentes.


DOWNLOAD PDF
 

Utilidade


Estes anticorpos são contra a proteína DNA topoisomerase I. Ocorrem em 75% dos pacientes com esclerose sistêmica progressiva na sua forma difusa (ESP). Podem ser encontrados em pacientes com fenômeno de Raynaud, antes do surgimento das manifestações clínicas da esclerose sistêmica.


Material


Soro


Instruções


Jejum obrigatório de 8 horas.


Utilidade


Os anticorpos anti-Sm possuem alta especificidade para o LES, porém com
sensibilidade de apenas 25 a 30%, quando a técnica utilizada é a
imunodifusão radial ou imunopreciptação. Quando realizado por
imunoensaio enzimático, reações falso-positivas podem ocorrer em 23%
dos pacientes com AR, 25% dos com Esclerose Sistêmica (ES), 9% das
polimiosites e 2% dos indivíduos normais. Alguns estudos associam a
sua presença com nefrite branda de curso benigno, outros o associam
com envolvimento do sistema nervoso central e exacerbação clínica da
doença.


Material


Soro


Instruções


Jejum obrigatório de 8 horas.


Utilidade


A peroxidase tireoidiano (TPO), uma enzima que cataliza as etapas de
iodinação e acoplamento da biosíntese do hormônio tireoidiano, e
agora conhecida como o principal antígeno microssomal. O principal uso deste exame é a confirmação do diagnóstico de tireoidite autoimune. O anticorpo anti-TPO tem sido utilizado no lugar da determinação do anticorpo antimicrossomal. Anticorpos anti-TPO podem ser detectados em pessoas sem doença tireoidiana significativa. Eles não definem o status funcional tireoidiano do paciente. Substitui com vantagens os anticorpos antimicrossomais.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.
- A coleta deve ser realizada no período da manhã, até as 11:30 horas.


DOWNLOAD PDF
 
1 |  2 |  3 |  4 |  5 |  6 |  7 |  8 |  9 |  10 |  11 |  12 |  13 |  14 |  15 |  16 |  17 |  18 |  19 |  20 |  21 |  22 |  23 |  24 |  25 |  26 |  27 |  3 Páginas de 27
VOLTAR