EXAMES E SERVIÇOS

Os equipamentos utilizados para a realização dos exames contam com alta tecnologia e uma equipe de multiprofissionais amplamente qualificados.

Esta estrutura permite que realizemos mais de 1.000 tipos de exames relacionados.

 

Buscar exames

Mnemônico + -
Descrição + -

Utilidade


O zinco é um nutriente essencial (componente de muitas enzimas
importantes) e sua deficiência pode acarretar sérias consequências à
saúde humana. A absorção se dá pelas vias percutânea, oral e
inalatória. Os vapores de zinco ou de seus sais solúveis são altamente
irritativos para os pulmões. Intoxicações crônicas resultantes de
exposições ocupacionais ao zinco são pouco frequentes. A chamada febre
do fumo é o efeito mais comumente observado em trabalhadores expostos
ao óxido de zinco.


Material


Urina


Instruções


- Fazer higiene da genitália com água e sabão, secar, desprezar o 1º
jato de urina, coletar o jato do meio em frasco próprio.
- Colher o jato médio da urina com retenção de 4 horas entre as
micções.
- O material deve ser colhido de preferência no laboratório.
- Sendo a coleta feita em casa, manter a urina refrigerada e trazer o
material ao laboratório no prazo máximo de 6 horas.
- Não colher após ejaculação (intervalo mínimo para coleta após
ejaculação: 24 horas).
- Não colher em local de trabalho.
- Retirar o uniforme antes da coleta.
- Lavar as mãos e genitália antes de colher.
- Colher urina de início ou final de jornada de trabalho.


Utilidade


O Zinco é um metal essencial e, por isso, tanto a ausência quanto a exposição excessiva podem trazer efeitos nocivos. Existem mais de 200 metaloenzimas que utilizam o zinco como cofator, e sua deficiência pode gerar diversos efeitos. O homem está principalmente exposto ao zinco através da ingestão.
Os níveis de Zinco que produzem efeitos nocivos à saúde são muito maiores que os valores máximos permitidos recomendados de ingestão na dieta, de 15mg/dia para o homem e de 12mg/dia para a mulher. Se altas doses de zinco (10-15 vezes maiores que os referidos) são ingeridas por curto período de tempo, dores estomacais, náuseas e vômitos podem ocorrer.
O zinco metálico tem muitas aplicações na indústria de ligas como bronze e latão, assim como seus compostos na produção de tintas, cerâmicas e de vários outros produtos usados na indústria de medicamentos, na produção de bloqueadores solares, desodorantes, entre muitas outras aplicações. Os vapores de zinco ou de seus sais solúveis são altamente irritativos para os pulmões. Intoxicações crônicas resultantes de exposições ocupacionais ao zinco são pouco frequentes. A chamada febre do fumo é o efeito mais comumente observado em trabalhadores expostos ao óxido de zinco.


Material


Soro - Tubo seco ou Trace Branco - Verificar com triagem, em qual coletar.


Instruções


Jejum obrigatório de 8 horas


Utilidade


A intoxicação por chumbo, também chamada de saturnismo ou plumbismo caracteriza-se como uma porfiria adquirida.
O chumbo pode ser absorvido pela pele, pelo trato gastrointestinal, pela aparelho respiratório, ou em conseqüência de projéteis e seus estilhaços localizados na pele e músculos.
A exposição ao chumbo pode ocorrer ocupacionalmente nas seguintes atividades: fabricação de cerâmicas, de tintas, corantes , vernizes e esmaltes. Fabricação de armas de fogo e munições, soldagens, fabricação de cabos elétricos, tubos e chapas, indústria química, produçãos de antidetonantes e acumuladores elétricos chumbo/ácido.
Outros sintomas incluem insuficiência renal, fraqueza neuromuscular, ataques de apoplexia e coma, além de efeitos genéticos. A intoxicaçã por chumbo é considerada uma doença ocupacional séria e pode ser uma fonte potencial, em áreas urbanas, de danos cerebrais, retardamento e problemas comportamentais graves em bebês.
A protoporfirina livre ou ligada ao Zn não transpõe membranas biológicas, por isso não é encontrada detectada na urina.


Material


Sangue total Heparina (Trace)


Instruções


- Informar se o paciente é exposto ao chumbo.


Utilidade


O Zika vírus (ZIKV) pertence à família dos flavivírus, guardando assim grande similaridade com outros membros da mesma família: vírus da dengue, vírus da febre amarela, vírus da febre do Nilo ocidental e vírus da encefalite japonesa. O primeiro caso em humanos foi descrito em 1964. Em 2015 a circulação do vírus no Brasil foi confirmada. Os sinais e sintomas da infecção pelo ZIKV são similares ao da infecção pelo vírus da dengue: febre autolimitada por 4-7 dias e período de incubação de 3-12 dias. Rash cutâneo maculopapular, artralgia, dor de cabeça e retrorbital, conjuntivite, mialgia e astenia. Infecções pelo ZIKV têm sido associadas à microcefalia fetal e síndrome de Guillain-Barré. Diagnóstico: o diagnóstico é feito pelo isolamento do genoma viral pela técnica do PCR no período virêmico entre 4 a 7 dias. Os anticorpos IgM podem estar presentes a partir do quinto dia após o início dos sintomas podendo denotar infecção aguda. Amostras testadas positivas para o vírus dengue, podem também apresentar positividade para o ZIKV. Não foi observada reação cruzada do IgM com o vírus Chikungunya, mas essa possibilidade não está de todo afastada. Pacientes portadores de malária também podem gerar resultados falso-positivos. Amostras de IgG testadas positivas para os vírus da dengue e Chikungunya podem ser positivas para o ZIKV. Não se sabe se essa situação corresponde a uma reação cruzada do ensaio ou simplesmente históricos de coinfecção em períodos diferentes em um mesmo indivíduo em áreas endêmicas. Outras reações cruzadas são observadas nas infecções pelos vírus Epstein barr, em amostras positivas para o FAN (Fator Anti-núcleo) e em portadores de malária. A interpretação da sorologia é mais interessante para afastar a infecção pelo ZIKV. Sua positividade deve ser avaliada no contexto das outras condições assinaladas acima. Níveis progressivamente elevados de IgG podem sugerir nova infecção pelo ZIKV.


Material


Soro


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.


Utilidade


O Zika vírus (ZIKV) pertence à família dos flavivírus, guardando assim grande similaridade com outros membros da mesma família: vírus da dengue, vírus da febre amarela, vírus da febre do Nilo ocidental e vírus da encefalite japonesa. O primeiro caso em humanos foi descrito em 1964. Em 2015 a circulação do vírus no Brasil foi confirmada. Os sinais e sintomas da infecção pelo ZIKV são similares ao da infecção pelo vírus da dengue: febre autolimitada por 4-7 dias e período de incubação de 3-12 dias. Rash cutâneo maculopapular, artralgia, dor de cabeça e retrorbital, conjuntivite, mialgia e astenia. Infecções pelo ZIKV têm sido associadas à microcefalia fetal e síndrome de Guillain-Barré. Diagnóstico: o diagnóstico é feito pelo isolamento do genoma viral pela técnica do PCR no período virêmico entre 4 a 7 dias. Os anticorpos IgM podem estar presentes a partir do quinto dia após o início dos sintomas podendo denotar infecção aguda. Amostras testadas positivas para o vírus dengue, podem também apresentar positividade para o ZIKV. Não foi observada reação cruzada do IgM com o vírus Chikungunya, mas essa possibilidade não está de todo afastada. Pacientes portadores de malária também podem gerar resultados falso-positivos. Amostras de IgG testadas positivas para os vírus da dengue e Chikungunya podem ser positivas para o ZIKV. Não se sabe se essa situação corresponde a uma reação cruzada do ensaio ou simplesmente históricos de coinfecção em períodos diferentes em um mesmo indivíduo em áreas endêmicas. Outras reações cruzadas são observadas nas infecções pelos vírus Epstein barr, em amostras positivas para o FAN (Fator Anti-núcleo) e em portadores de malária. A interpretação da sorologia é mais interessante para afastar a infecção pelo ZIKV. Sua positividade deve ser avaliada no contexto das outras condições assinaladas acima. Níveis progressivamente elevados de IgG podem sugerir nova infecção pelo ZIKV.


Material


Soro


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.


Material


Soro


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.


Utilidade


A infecção pelo HIV 1 e 2 leva à Síndrome da Imunodeficiência Adquirida - SIDA. Testes de triagem como CLIA, ECLIA ou ELFA devem ser confirmados por ensaios mais específicos (Western Blot ou imunofluorescência). Falso-positivos podem ocorrer em testes imunoenzimáticos nos pacientes com anticorpos anti-HLA DR4, outras viroses, vacinados para influenza, hepatites alcoólicas, portadores de distúrbios imunológicos, neoplasias, multíparas e politransfundidos. Filhos de mãe HIV positivo possuem anticorpos maternos, não sendo, pois, a sorologia definitiva no diagnóstico. Os testes imunoenzimáticos têm sensibilidade e especificidade em torno de 98%. Indivíduos de alto risco, com um teste enzimático positivo, apresentam valor preditivo positivo de 99%. Assim, testes imunoenzimáticos positivos de forma isolada, não podem ser considerados como diagnostico de infecção pelo HIV, sendo necessária a realização do Western Blot como teste confirmatório. Pacientes com fase avançada da doença podem não apresentar reatividade ao Western Blot. Cerca de 20% da população normal não infectada apresentam resultados
indeterminados no Western Blot. A Portaria No. 29, de 17 de dezembro de 2013 (Ministério da Saúde) normatiza o diagnóstico sorológico da infecção pelo HIV em adultos e crianças.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


Utilidade


O teste de Waaler Rose que consiste da aglutinação de hemácias de
carneiro foi por anos o método para pesquisa do fator reumatóide (FR).
Entretanto, apresenta desvantagens devido à subjetividade de sua
leitura e baixa reprodutividade, sendo substituído por métodos mais
modernos para detecção do FR, com a nefelometria. Deve-se, pois,
preferir a determinação do FR por nefelometria.


Material


Soro


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.
- Intervalo entre mamadas para lactentes.


Utilidade


O Colesterol é o principal lipídeo associado a doença vascular aterosclerótica. Também é utilizado na produção de hormônios esteróides, ácidos biliares e na constituição das membranas celulares. Seu metabolismo ocorre no fígado, sendo transportado no sangue por lipoproteínas (70% por LDL, 25% por HDL e 5% por VLDL). A avaliação do risco cardiovascular engloba o colesterol total e suas frações, triglicérides, subfracionamento da apolipoproteínas A1 e B, lipoproteína (a), proteína C reativa ultrassensível e homocisteína.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório, de acordo com o Consenso Brasileiro para a Normatização da Determinação Laboratorial do Perfil Lipídico".
- Atenção: Para pedidos com glicemia o jejum máximo é de 14 horas.

- A coleta de amostra para o perfil lipídico (dosagens de triglicérides, colesterol e suas frações) poderá ser realizada sem jejum obrigatório pelo laboratório desde que haja a informação do estado de jejum no laudo laboratorial, ou seja, o intervalo de tempo entre o momento da coleta e a última refeição. Em caso de dúvidas, entrar em contato com a Assessoria.


Material


Soro


Instruções


- Adultos:
. Jejum obrigatório de 12 horas.
- Crianças:
. Até 1 ano de idade, jejum mínimo necessário de 3 horas.
. De 1 a 5 anos de idade, jejum mínimo necessário de 6 horas.
. Acima de 5 anos de idade, jejum igual ao de adulto.

ENVIAR MATERIAL PROTEGIDO DA LUZ


Utilidade


É uma vitamina lipossolúvel e com função antioxidante, prevenindo danos nas membranas celulares por radicais livres. A sua forma mais ativa é o alfa-tocoferol. Sua dosagem é útil na investigação da sua deficiência (quadro neurodegenerativo, anemia hemolítica e alteração visual). Níveis baixos podem ser determinados por má absorção (pancreatite, fibrose cística, atresia de vias biliares, ressecção intestinal), prematuridade, etilismo, cirrose, uso de anticonvulsivante, colestiramina, óleos minerais e contraceptivos orais.


Material


Soro


Instruções


Jejum Obrigatório de 8 horas


Utilidade


A 25-OH - Vitamina D é a medida de preferência para se avaliar o status nutricional de vitamina D. Valores diminuídos estão associados com insuficiência dietética de vitamina D, doença hepática, má absorção, exposição ao sol inadequada e síndrome nefrótica. Valores aumentados são associados à intoxicação por vitamina D. Pode apresentar-se em baixas concentrações (dentro do valor de referência) nos quadros de obesidade, sarcoidose, calcinose tumoral hiperfosfatêmica, tuberculose, hiperparatireoidismo primário e no raquitismo tipo II vitamina-D dependente. A 25 OH Vitamina D2 é metabolizada de maneira equivalente à 25 OH Vitamina D3 nos seres humanos. É menos potente e em algumas partes do mundo é a única forma licenciada para suplementação.


Material


Soro


Instruções


Jejum não obrigatório. Exceto para pacientes portadores de hipertrigliceridemia (níveis superiores a 500 mg/dL) recomendável jejum de 12h.


Utilidade


A vitamina D3 é empregada no tratamento do raquitismo e da osteomalácia metabólicos, em especial na vigência de insuficiência renal crônica e no tratamento do hipoparatireoidismo. Quantidades excessivas de vitamina D3 causam distúrbios clínicos no metabolismo do cálcio.


Material


Soro


Instruções


Jejum não obrigatório


Utilidade


A vitamina C é utilizada no tratamento da deficiência do ácido ascórbico, no controle da metemoglobinemia idiopática e como antioxidante tem sido associada à proteção contra formação de cataratas e a degeneração macular relacionadas com a idade. Uma deficiência na ingestão da vitamina C pode provocar escorbuto e megadoses desta vitamina podem levar à formação de cálculos renais, resultantes da excreção excessiva de oxalato e o escorbuto de rebote.


Material


Soro


Instruções


Jejum obrigatório de 8 Horas


Utilidade


A Vitamina B6 envolve um grupo de compostos metabolicamente intermutáveis, o piridoxol (o álcool), o piridoxal (o aldeído) e a piridoxamina (a amina). Solúvel em água, termoestável em pH ácido, instável à luz, o Piridoxal 5 fosfato (PLP) atua na formação do ácido alfa aminolevulínico, percursor do grupo heme da hemoglobina . Os principais antagonistas que intereferem na disponibilidade de vitamina B6, são: o Desoxipiridoxina, a Isoniasida, a Hidralazina, o Cicloserina, e a Penicilamina. As deficiências devido aos antagonistas podem acarretar: fraco crescimento, convulsões, lesões na pele, queda na produção de anticorpos, vômito, cálculos renais. A deficiência marginal de vitamina B6 ocorre entre os grupos: gestantes e lactantes, mulheres que tomam contraceptivos orais com alto teor de estrogénio, alcoólicos crônicos. A deficiência franca de Vitamina B6 pode causar anemia hipocrômica e perda da capacidade de conversão do triptofano em ácido nicotínico.


Material


Sangue total EDTA


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.


Material


Sangue total EDTA


Instruções


- Jejum desejável de 4 horas.
- Informar medicamento em uso.
- É obrigatório informar dados clínicos, data e horário da coleta.


Utilidade


A riboflavina, comumente conhecida como vitamina B2, é o precursor de todas as flavinas biologicamente importantes, notadamente flavina mononucleotídeo (FMN) e flavina adenina dinucleotídeo (FAD). A riboflavina e seus derivados agem como cofatores em várias enzimas redox. Fontes alimentares de coenzimas da vitamina B2 são coração, fígado e rim. Vegetais também são uma boa fonte. Sua deficiência é caracterizada por dor de garganta, hiperemia, edema da faringe e membranas mucosas, queilose, estomatite angular, glossite, dermatite seborreica e anemia normocítica e normocrômica. Não há toxicidade reportada com níveis elevados de riboflavina.


Material


Plasma (heparina)


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.


Utilidade


A Vitamina B12 tem papel importante na hematopoiese, na função neural,
no metabolismo do ácido fólico e na síntese adequada de DNA.
Apresenta-se diminuída, na produção deficiente de fator intrínseco
(determinada pela atrofia da mucosa gástrica, resultando em anemia
perniciosa), nas síndromes de má absorção (por ressecção do intestino
delgado, doença celíaca, espru tropical e cirurgia bariátrica), no
alcoolismo, na deficiência de ferro e folato, no uso de medicamentos
que podem levar a diminuição da absorção (metotrexato, pirimetamina,
trimetropin, fenitoina, barbituricos, contraceptivos orais,
colchicina, metformina, etc) e nas dietas vegetarianas estritas.
Condições associadas a níveis aumentados de vitamina B12 incluem o
tratamento de reposição, leucemia granulocítica crônica,
insuficiência renal crônica, insuficiência cardíaca congestiva,
diabetes, obesidade, doença pulmonar obstrutiva crônica e
hepatopatias.


Material


Soro


Instruções


Verificar se o paciente se enquadra nos casos abaixo.

- Alguns medicamentos inclusive anticoncepcional oral, vitaminas (comprimidos ou
injetáveis).
- Pacientes vegetarianos estrito (não ingerem produtos animais: carne, peixes, leite e
ovos)
- Paciente que realizaram cirurgia intestinal ou de estômago.
- Doença inflamatória intestinal (Doença de Chron ou Retocolite).
- Gravidez ou amamentação.


Utilidade


Vitamina integrante do complexo B, a Tiamina tem um papel-chave no funcionamento do sistema nervoso e na produção de energia. As principais fontes de Tiamina são cereais, grãos, carnes (especialmente de porco), vegetais e laticínios. A absorção da Tiamina ocorre no duodeno proximal e jejuno na presença de meio ácido. É metabolizada no fígado e a excreção é renal. Se ingerida em excesso e a capacidade de absorção for ultrapassada, a liberação da vitamina B1 é feita pelas fezes.
Deficiência de tiamina ocorre comumente em idosos e em indivíduos com doenças gastrointestinais, durante tratamento para câncer, ou em uso prolongado de diuréticos. Encontra-se também reduzida em pacientes alcoólatras, portadores de infecções crônicas e diabetes. Em casos de ingesta inadequada a deficiência pode ocorrer em até 21 dias.
A deficiência grave resulta em falência cardíaca (beribéri) ou manifestações neurológicas (encefalopatia de Wernicke). Insuficiência subclínica pode afetar o desempenho intelectual e a sensação inespecífica de bem-estar. A tiamina difosfato é a forma fisiologicamente ativa da tiamina, sendo predominante nos eritrócitos.


Material


Soro


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.


Utilidade


A expressão vitamina A refere-se aos retinóides que tem atividade
biológica do retinol. A Vitamina A encontrada em produtos de origem
animal, é lipossolúvel e tem duas formas: o retinol (Vitamina A1) e a
3-dehidro-retinol (Vitamina A2). Concentrações em crianças são menores
que em adultos. Níveis baixos são encontrados na deficiência dietética
da vitamina, insuficiência pancreática exócrina, má absorção
intestinal, parasitoses, sindrome nefrótica, infecções e etilismo.
Níveis elevados podem ser encontrados na hipervitaminose A, etilismo,
uso de estrogênios e anticoncepcionais.


Material


Soro


Instruções


Jejum Obrigatório de 8 horas

- Evitar o uso de bebida alcoólica por pelo menos 24 horas antes do teste.


Utilidade


Marcador pouco específico de atividades infecciosas inespecíficas, estados inflamatórios, doenças autoimunes e reumáticas.


Material


Sangue Total EDTA


Instruções


Jejum não Obrigatório.


Utilidade


Na sífilis primaria os teste VDRL e FTA-ABS (imunofluorescência indireta) positivam-se depois do cancro duro, com sensibilidade de 85%. Na sífilis secundária a sensibilidade da sorologia é de 99%. Na sífilis terciária, VDRL tem sensibilidade de 70% e FTA-ABS de 98%. VDRL: teste não treponêmico, utiliza como antígeno a cardiolipina que normalmente ocorre no soro em níveis baixos e apresenta-se elevado na sifilis. O VDRL é uma reação de floculação, apresentando alta sensibilidade e baixa especificidade. Torna-se positivo duas semanas após o cancro. Falso-negativos podem ocorrer na sífilis tardia. Entre 1 e 40% dos resultados de VDRL são falso-positivos: idosos, portadores de doenças auto-imunes, malária, mononucleose, brucelose, hanseníase, hepatites, portadores HIV, leptospirose, viciados em drogas, outras infecções bacterianas, vacinações e gravidez. Falso-positivos mostram títulos em geral ate 1:4, mas títulos maiores podem ser encontrados. Na avaliação do tratamento observa-se que na sífilis primária e secundaria, os títulos caem cerca de quatro vezes em três meses e oito vezes em seis meses, negativando-se em um a dois anos. A persistência de títulos elevados ou a não redução em quatro vezes dos títulos, após um ano de tratamento, pode indicar novo tratamento. Resultados positivos de VDRL no liquor são encontrados em 50% a 60% dos casos de neurosífilis, com especificidade em torno de 99%. Após tratamento, títulos caem entre três e seis meses, podendo demorar anos para negativarem. Linfocitose e aumento das proteínas são evidências de neurosífilis ativa. Testes treponêmicos: os testes de imunofluorescência (FTA-ABS) apresentam especificidade entre 96 e 99%. Menos de 1% dos indivíduos saudáveis tem FTA-ABS positivo, porém falso-positivos podem ocorrer em doenças auto-imunes, gravidez, hanseníase, malaria, mononucleose, leptospirose e infecções por outros treponemas. O imunoensaio enzimático tem estreita correlação com os resultados do FTA-ABS, apresentando como vantagem maior reprodutibilidade.


Instruções


Não há necessidade de jejum.


Instruções


- Jejum obrigatório de 12 horas
- Evitar stress físico no dia da coleta.
- É recomendado que o paciente esteja em repouso pelo menos uma hora antes da coleta.


Utilidade


O vírus da Varicella zoster é responsável por duas síndromes clínicas: a catapora e o
Herpes Zoster. A catapora representa uma grande ameaça a neonatos e indivíduos
imunocomprometidos. O herpes zoster é mais comum acima dos 50 anos, sendo frequente em
pacientes com imunidade comprometida por neoplasias, uso de drogas imunossupressoras ou em
crianças expostas ao vírus no período neonatal. A presença de IgM ou alto título de IgG
correlaciona-se com infecção ou exposição recente, enquanto baixos títulos de IgG são
observados em adultos sãos. Na catapora, a IgM é detectada sete dias após o rash,
atingindo o pico em 14 dias. Quanto ao herpes zoster, a IgM aumenta em torno do 8º e 10º
dia após a erupção, com pico geralmente no 18º e 19º dia. É importante ressaltar que as
vacinações induzem a síntese de IgG, embora a grande proteção seja do tipo celular.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


Utilidade


O vírus da Varicella zoster é responsável por duas síndromes
clinicas: a catapora e o Herpes Zoster. A catapora representa uma
grande ameaça a neonatos e indivíduos imunocomprometidos. O herpes
zoster é mais comum acima dos 50 anos, sendo frequente em pacientes
com imunidade comprometida por neoplasias, uso de drogas
imunossupressoras ou em crianças expostas ao vírus no período
neonatal. A presença de IgM ou alto título de IgG correlaciona-se com
infecção ou exposição recente, enquanto baixos títulos de IgG são
observados em adultos sadios. Na catapora, a IgM é detectada sete dias
após o rash, atingindo o pico em 14 dias. Quanto ao herpes zoster,a
IgM aumenta em torno do 8º e 10º dia após a erupção, com pico
geralmente no 18º e 19º dia. É importante ressaltar que as vacinações
induzem a síntese de IgG, embora a grande proteção seja do tipo
celular.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


Utilidade


A vancomicina é um antibiótico glicopeptídeo complexo, que tem sido
utilizado para tratar estafilococos produtores de penicilinase. É o
fármaco de eleição utilizado no tratamento do Staphylococcus aureus
resistente à meticilina e a antibióticos beta lactâmicos relacionados
assim como no tratamento de infecções gram-positivas graves, nos casos
de alergia a penicilina ou cefalosporina. A vancomicina é também
utilizada no tratamento da enterocolite induzida por antibióticos
associada a clostridium difficile e endocardite estreptocócica ou
enterocócica, sendo nesta última utilizada em conjunto com um
aminoglicosídeo, quando a penicilina ou ampicilina não podem ser
utilizadas. É necessário monitorizar os níveis séricos ou plasmáticos
máximos e mínimos, devido aos possíveis efeitos secundários graves,
incluindo ototoxicidade, nefrotoxicidade, flebite e neutropenia
reversível.


Material


Soro


Instruções


- Jejum desejável de 4 horas (alimentar) ou conforme orientação
médica.


Utilidade


A solubilidade é um fator determinante do comportamento das
porfirinas. A uroporfirina é a porfirina mais solúvel em água, sendo
encontrada na urina e em menores concentrações nas fezes e sangue.
Encontra-se elevada nos pacientes com Porfiria Cutânea Tardia, Porfiria
Eritropoiética Congênita, insuficiência renal crônica e neoplasias.


Material


Urina 24h


Instruções


- Utilizar frasco protegido da luz.
- Não fazer esforco físico durante a coleta.
- O cliente deve manter sua rotina diária.
- Não é necessário aumentar a ingestão de líquidos, exceto sob
orientação médica.

- Informar volume total.


Utilidade


A solubilidade é um fator determinante do comportamento das
porfirinas. A uroporfirina é a porfirina mais solúvel em água, sendo
encontrada na urina e em menores concentrações nas fezes e
sangue. Encontra-se elevada nos pacientes com Porfiria Cutânea Tardia,
Porfiria Eritropoiética Congênita, insuficiência renal crônica e
neoplasias.


Material


Urina amostra Isolada


Instruções


Colher a 1ª urina da manhã ou urina com o mínimo de 4 horas de retenção urinária.
- Fazer higiene local com água e sabão, secar, desprezar o 1º jato e
coletar o jato do meio.
- Utilizar frasco protegido da luz (âmbar).


Utilidade


Aplica-se no diagnóstico de infecções do trato urinário. O exame possibilita a identificação dos microrganismos e teste de sensibilidade aos antimicrobianos.


Instruções


Colher preferencialmente no laboratório a 1ª urina da manhã ou com intervalo de 4 horas entre as micções. Fazer higiene da genitália com água e sabão, secar, desprezar o primeiro jato de urina e coletar o jato médio.
- Mulheres: não fornecemos e nem indicamos o uso de tamponamento (absorvente interno) para coleta de urina no período menstrual.
- Criança: Não utilizar pomadas no dia da coleta. Sempre que possível, colher no próprio laboratório.
- Coleta com coletor de urina infantil: somente realizada nas dependências do laboratório.
- Manter dieta hídrica habitual.
- Em caso de uso de antimicrobianos, deve-se aguardar 7 dias após o término do medicamento para realização do exame ou conforme orientação médica.



- A higienização da genitália é realizada com água e sabão neutro.
- Nas mulheres, lavar e secar sempre de frente para trás. Nos homens lavar retraindo o prepúcio para uma adequada limpeza do meato uretral.
- Desprezar o primeiro jato e sem interromper a micção, colher o jato médio sem encostar o frasco de coleta na região genital.
- Pode-se colher amostras de urina sem definição de jato médio em situações onde não é possível desprezar o primeiro jato, como por exemplo no caso de crianças que colhem com o uso do coletor e amostras colhidas com sonda.
- Abrir o frasco imediatamente antes da coleta.
- Não encher o frasco até a borda.
- Somente usar frascos novos e estéreis.
- No caso de crianças que necessitam do uso de coletor, o mesmo deve ser colocado após higienização adequada, e deverá ser trocado de 30 em 30 minutos, até que a criança urine. Repetir a higienização quando for trocar o coletor.
- Durante o cadastro colocar no campo de observações as informações relevantes como por exemplo USO DE ANTIBIÓTICO, SONDA, GESTANTE, PRESENÇA DE PIÚRIA e informar caso o exame seja RECOLETA.


Utilidade


O exame de urina rotina é muito importante para avaliações da função renal e afecções do trato urinário, podendo auxiliar no diagnóstico e avaliação da eficácia do tratamento. O exame compreende três etapas: caracteres gerais (propriedades físicas); pesquisa de elementos anormais (pesquisa química); sedimentoscopia (exame microscópico da urina).


Material


Urina


Instruções


- Colher preferencialmente no laboratório a 1ª urina da manhã ou com intervalo de 4 horas entre as micções.
- Fazer higiene da genitália com água e sabão, secar.
- Para urina primeiro jato, colher os primeiros 10 a 20 mL de urina (não ultrapassar o volume de 20 mL).
- Para urina recente (jato médio), desprezar o 1º jato de urina e coletar o jato do meio (cerca de 30 mL).
- Para coletas realizadas em casa o cliente deve entregar a urina no laboratório em no máximo 1 hora após a coleta, em temperatura ambiente ou refrigerada.
- Usar frasco limpo e adequado (comprado em farmácia) ou preferencialmente o KIT com tubo cônico (fornecido pelo laboratório).
- Mulheres: não fornecemos e nem indicamos o uso de tamponamento (absorvente interno) para coleta de urina no período menstrual.
- Criança: Não utilizar pomadas no dia da coleta. Sempre que possível, colher no próprio laboratório tomando cuidados especiais com assepsia.
- Coleta com coletor de urina infantil: somente realizada nas dependências do laboratório.
- Manter dieta hídrica habitual.
- Não coletar urina após cliente ter ingerido dextrosol, coletar antes da ingestão ou orientar coleta no dia seguinte.


1 |  2 |  3 |  4 |  5 |  6 |  7 |  8 |  9 |  10 |  11 |  12 |  13 |  14 |  15 |  16 |  17 |  1 Página de 17
VOLTAR