EXAMES E SERVIÇOS

Os equipamentos utilizados para a realização dos exames contam com alta tecnologia e uma equipe de multiprofissionais amplamente qualificados.

Esta estrutura permite que realizemos mais de 1.000 tipos de exames relacionados.

 

Buscar exames

Mnemônico + -
Descrição + -

Utilidade


Dosagem de Topiramato sérico


Material


Soro


Instruções


- Jejum desejável de 8 horas ou conforme orientação médica.
- Coletar preferencialmente antes da próxima dose do medicamento ou conforme orientação médica.


Utilidade


Permite avaliacao da via intrinseca da coagulacao, entretanto, apresenta pouca sensibilidade. Esta aumentado nas deficiencias severas de qualquer um dos fatores da coagulacao (exceto dos fatores XIII e VII), nos casos de deficiencia de fibrinogenio, no uso de heparina em doses elevadas e na presenca de anticoagulantes naturais.


Material


Sangue total em tubo para coagulação.


Instruções


- Jejum não obrigatório.
- Informar medicamentos em uso.


Material


Soro


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.


Utilidade


Diagnóstico do infarto do miocárdio A troponina é um complexo de três proteínas, que regula a interação da miosina com a actina no processo contrátil: a troponina T (liga o complexo a tropomiosina), a troponina C (liga o cálcio no início da contração) e a troponina I (um inibidor que bloqueia a concentração na ausência do cálcio).


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


Utilidade


Os testes sorológicos são utilizados como um dos critérios para confirmação de suspeita
clínica da Doença de Chagas e triagem em bancos de sangue. Entretanto, alguns cuidados são
necessários na escolha do método e sua interpretação. O Machado Guerreiro (Fixação de
complemento) era o exame de escolha no passado, mas por apresentar baixa sensibilidade
(60%), baixa especificidade e complexidade na sua execução, não mais deve ser utilizado.
Os métodos Hemaglutinação, imunofluorescência e imunoensaio apresentam sensibilidade
próximo a 100%. Tendo em vista a possibilidade de falso-positivos (leishmania, malária,
sífilis, toxoplasmose, hanseníase, doenças do colágeno, hepatites) é recomendado que o
soro seja testado em pelo menos dois métodos diferentes antes de aceito, pelo clínico
assistente, a positividade da sorologia. A hemoaglutinacao é utilizada para triagem devido
sua praticidade e boa sensibilidade. Entretanto, tem especificidade inferior a
imunofluorescência e ao imunoensaio enzimático. A imunofluorescência indireta IgG é exame
sensível no diagnostico da Doença de Chagas. A imunofluorescência indireta IgM é útil para
caracterizar fase aguda. Ambos apresentam menor reprodutibilidade que o imunoensaio
enzimático (ELISA). O imunoensaio enzimático utiliza antígenos altamente purificados com
maior sensibilidade (98 a 100%), maior especificidade (93 a 100%) e leitura mais objetiva.
O imunoensaio de partículas em gel apresenta sensibilidade de 96,8% e especificidade de
94,6%. Ressalta-se que a Organização Mundial de Saúde preconiza o uso de pelo menos dois
testes de diferentes métodos para o diagnóstico laboratorial da doença de Chagas.
A utilização das técnicas sorológicas em Doença de Chagas aguda é útil na ausência de
exames parasitológicos positivos, pesquisar-se uma possível evolução do resultado a
curto-médio prazo: colhe-se material para uma primeira sorologia logo ao primeiro exame do
paciente que, se negativa, deverá ser repetida 20 a 30 dias após. Uma soroconversão, neste
caso, estará indicando uma doença aguda em curso ou já em fase de regressão.
Se o primeiro exame for positivo, pode tratar-se de um momento tardio de fase aguda ou de
um paciente já com doença de Chagas crônica, uma dúvida que eventualmente pode ser
dirimida através da clínica, da epidemiologia e de outros exames de laboratório
(especialmente parasitológicos diretos);
Se possível, tentar pesquisa anticorpo anti T. cruzi da classe IgM. Se positivo, o
resultado será bastante sugestivo de Doença de Chagas aguda, especialmente quando a
clínica e a epidemiologia forem compatíveis.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


Utilidade


Eh o tempo necessario para a hemostasia de um ferimento pequeno, padronizado, feito no lobo da orelha ou na ponta do dedo (polpa digital). Eh um metodo utilizado para avaliar as alteracoes vasculares e principalmente as alteracoes quantitativas e qualitativas das plaquetas. Tempo de Sangria prolongado ocorre em situacoes de alteracoes vasculares, plaquetopenias primarias ou secundarias com numero de plaquetas inferior a 50.000/mm3, defeitos qualitativos hereditarios e adquiridos das plaquetas e pelo uso de inibidores da funcao plaquetaria.


Instruções


Jejum não Obrigatório.

Averiguar se o paciente, faz uso de anticoagulante.
Método de Duke.
Punção do lóbulo


Utilidade


As troponinas I e T são marcadores de lesão da musculatura cardíaca, sendo úteis no diagnóstico do Infarto Agudo do Miocárdio (IAM). As troponinas cardíacas são mais sensíveis e específicas que outros marcadores como CK, CK-MB e mioglobina. Em pacientes com IAM, as troponinas cardíacas se elevam rapidamente, geralmente dentro de 1 hora quando utilizados ensaios de alta sensibilidade, e permanecem elevadas por até 14 dias. Com o uso dos ensaios de alta sensibilidade, portanto, o intervalo de tempo para uma segunda dosagem de troponina pode ser reduzido para 1 hora, utilizando-se algoritmos validados com pontos de corte próprios para o teste empregado. Deve-se lembrar que a troponina é específica de dano miocárdico e não do mecanismo que o ocasionou, pois há várias situações que podem se apresentar com níveis de troponina elevados sem associação com doença cardíaca isquêmica. São exemplos: lesões cardíacas não coronarianas, tromboembolismo pulmonar, dissecção de aorta e insuficiência renal crônica. Nessas situações, os níveis de troponina, geralmente, não aumentam em dosagens seriadas, como ocorre no IAM.


Material


Soro


Instruções


Jejum não Obrigatório


Utilidade


A Doença Celíaca, também chamada de Enteropatia Glúten-sensível ou Espru não tropical, é uma doença crônica, associada a uma hipersensibilidade ao glúten da dieta (trigo, centeio e cevada). 


Material


Soro


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.
- Intervalo máximo entre as mamadas para lactentes.


Utilidade


Doença tireoidiana autoimune, geralmente o hipertireoidismo. Porém, como o TRAB dosa tanto anticorpos estimuladores do receptor de TSH como anticorpos bloqueadores do receptor, também poderá ser positivo em alguns casos casos de hipotireoidismo, tipicamente sem bócio.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


Utilidade


A medida dos triglicerídeos no sangue em geral é feita como parte de um perfil lipídico usado para avaliar o risco de doença cardíaca. 


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório, de acordo com o Consenso Brasileiro para a Normatização da Determinação Laboratorial do Perfil Lipídico".
- Atenção: Para pedidos com glicemia, o jejum máximo é de 14 horas.


Utilidade


É a principal proteína de transporte do ferro, sendo sintetizada no
fígado e migrando para região beta na eletroforese. Útil para
diagnóstico e manejo de anemias. Essa aumenta nos casos de deficiência e diminui nos
casos de inflamações crônicas, neoplasias e hemocromatose. Atualmente,
imunoensaios podem determinar diretamente a transferrina, havendo boa
correlação entre os níveis de transferrina e a capacidade total de
combinação do ferro. A transferrina apresenta um polimorfismo genético
importante. Sua síntese é inversamente proporcional à quantidade de
ferro sérico. Valores elevados são encontrados nas anemias
ferroprivas, hemorragias agudas, no uso de estrógeno e gravidez
(elevação de 30 a 50%). Deve-se lembrar que a transferrina é uma beta-
1-globulina, sendo um marcador negativo de fase aguda, reduzindo
em processos inflamatórios e infecciosos agudos. Hipoproteinemia
também pode causar níveis baixos de transferrina.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


Utilidade


O hormônio Tireoestimulante (TSH) é uma glicoproteína secretado pela adenohipófise, tendo com o principal efeito o de estimular a tireoíde a liberar T3 e T4. A secreção e os níveis séricos de TSH são controlados pelos níveis de T3 e T4 e pelo TRH hipotálamico. A dosagem de TSH é importante no diagnóstico do hipotireoidismo primário, sendo o primeiro hormônio a se alterar nessa condição. Esta aumentado principalmente no Hipotiroidismo primário, Tireoidite de Hashimoto, Tireoidite sub-aguda e na secreção inapropriada de TSH (tumores hipofisários produtores de TSH). Está diminuído principalmente no Hipertireoidismo primário, Hipotireoidismo secundário, terciário e nas Síndromes de Hipertireoidismo sub-clínico.


Material


Soro


Instruções


Jejum não obrigatório.

- Informar medicamentos em uso.
- Se mulher, informar se esta grávida ou se usa anticoncepcional.


Utilidade


 Diagnóstico e acompanhamento de Doença Celíaca.


Material


Soro


Instruções


- Jejum obrigatório de 8 horas.


Utilidade


Tempo de Tromboplastina Parcial ativado (PTTa) normalmente mede a via intrínseca da coagulação. É indicado nos casos de suspeita de deficiência de fatores da via intrínseca da coagulação, antes de intervenções cirúrgicas e no controle de terapêutica anticoagulante pela heparina. As causas mais comuns de PTTa prolongado são: coagulação intravascular, disseminada, doença hepática, anticoagulantes circulantes, terapia com heparina, hemofilias A e B, uso de anticoagulantes orais, deficiência de vitamina K e hipofibrinogenemia. Quando somente o PTTa está prolongado, há deficiência nas etapas iniciais da via intrínseca: fatores XII, XI, IX ou VIII. Quando o PTTa esta prolongado juntamente com o TP há defeito comum da coagulação (fatores X, V e II) ou estão presentes inibidores como a heparina ou a antitrombina.

De acordo com o documento do CLSI H21-A5 (2009) estudos demostraram que o tempo de protrombina (TP) e tempo de tromboplastina parcial ativado (TTPa) não apresentaram resultados afetados pela coleta de amostras ensaiadas no primeiro tubo de citrato. Esses estudos, citados abaixo, não confirmaram a hipótese do efeito do fator tecidual sobre os resultados destes testes (TP e TTPa).


Material


Plasma De Citrato (tubo azul)


Instruções


Jejum desejável de mínimo de 4 horas

- Informar se esta ou esteve recentemente em uso de anticoagulante e qual a dosagem (Clexane, Heparina, Hirudoid, Liquemine, Marcoumar e Marevan.)
- Informar história de sangramentos importantes anteriores, doenças de coagulação na familia e testes de coagulação alterados previamente.


Utilidade


O Toxoplasma gondii é um protozoário parasita intracelular obrigatório. Usualmente assintomática, a infecção é importante em imuno comprometidos, gestantes, e naqueles com acometimento ocular. A infecção adquirida em imuno competentes é sintomática em apenas 10% dos pacientes, a maioria com linfonodomegalia auto-limitada. Podem apresentar febre, urticária, hepatoesplenomegalia, rash maculopapular e corioretinite. Neste caso, o diagnóstico é facilmente estabelecido pelos testes sorológicos. A PCR está indicada nas seguintes situações:

1. Definir o diagnóstico no paciente imunodeprimido.
2. Na presença de acometimento do sistema nervoso central (SNC).
3. Detectar a presença de acometimento ocular.
4. Estabelecer o diagnóstico de Toxoplasmose congênita: diagnóstico pré-natal e pós-natal.


Material


Sangue total EDTA


Instruções


- Jejum não obrigatório.


Material


Urina


Instruções


Jejum não obrigatório.


Utilidade




Material


Urina


Instruções


- Urina do final da última jornada de trabalho da semana.


Utilidade


Aplica-se no diagnóstico de infecções do trato urinário. O exame possibilita a identificação dos microrganismos e teste de sensibilidade aos antimicrobianos.


Instruções


Colher preferencialmente no laboratório a 1ª urina da manhã ou com intervalo de 4 horas entre as micções. Fazer higiene da genitália com água e sabão, secar, desprezar o primeiro jato de urina e coletar o jato médio.
- Mulheres: não fornecemos e nem indicamos o uso de tamponamento (absorvente interno) para coleta de urina no período menstrual.
- Criança: Não utilizar pomadas no dia da coleta. Sempre que possível, colher no próprio laboratório.
- Coleta com coletor de urina infantil: somente realizada nas dependências do laboratório.
- Manter dieta hídrica habitual.
- Em caso de uso de antimicrobianos, deve-se aguardar 7 dias após o término do medicamento para realização do exame ou conforme orientação médica.



- A higienização da genitália é realizada com água e sabão neutro.
- Nas mulheres, lavar e secar sempre de frente para trás. Nos homens lavar retraindo o prepúcio para uma adequada limpeza do meato uretral.
- Desprezar o primeiro jato e sem interromper a micção, colher o jato médio sem encostar o frasco de coleta na região genital.
- Pode-se colher amostras de urina sem definição de jato médio em situações onde não é possível desprezar o primeiro jato, como por exemplo no caso de crianças que colhem com o uso do coletor e amostras colhidas com sonda.
- Abrir o frasco imediatamente antes da coleta.
- Não encher o frasco até a borda.
- Somente usar frascos novos e estéreis.
- No caso de crianças que necessitam do uso de coletor, o mesmo deve ser colocado após higienização adequada, e deverá ser trocado de 30 em 30 minutos, até que a criança urine. Repetir a higienização quando for trocar o coletor.
- Durante o cadastro colocar no campo de observações as informações relevantes como por exemplo USO DE ANTIBIÓTICO, SONDA, GESTANTE, PRESENÇA DE PIÚRIA e informar caso o exame seja RECOLETA.


Utilidade


Avaliação da composição eletrolítica da urina em estudos de balanço ácido-base; avaliação da possibilidade de resposta a cloreto em casos de acidose metabólica; monitoramento do rigor de dieta hipossódica.


Material


Urina amostra isolada


Instruções


Colher preferencialmente no laboratório a 1ª urina da manhã ou com intervalo de 4 horas entre as micções. Fazer higiene da genitália com água e sabão, secar, desprezar o 1º jato e urina e coletar o jato do meio.


Utilidade


É a principal fonte de excreção do nitrogênio. Produto de metabolismo
hepático das proteínas, é excretada nos rins. Desta forma, a ureia é
diretamente relacionada a função metabólica hepática e excretória
renal. Sua concentração pode variar com a dieta, hidratação e função
renal. Dosagem feita após hemodiálise.
Obs. NÃO REALIZAMOS HEMODIÁLISE.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


Utilidade


A solubilidade é um fator determinante do comportamento das
porfirinas. A uroporfirina é a porfirina mais solúvel em água, sendo
encontrada na urina e em menores concentrações nas fezes e
sangue. Encontra-se elevada nos pacientes com Porfiria Cutânea Tardia,
Porfiria Eritropoiética Congênita, insuficiência renal crônica e
neoplasias.


Material


Urina amostra Isolada


Instruções


Colher a 1ª urina da manhã ou urina com o mínimo de 4 horas de retenção urinária.
- Fazer higiene local com água e sabão, secar, desprezar o 1º jato e
coletar o jato do meio.
- Utilizar frasco protegido da luz (âmbar).


Utilidade


Diagnóstico de síndromes mielomatosas.


Material


Urina


Instruções


- Não fazer esforco físico durante a coleta.
- O cliente deve manter sua rotina diária.
- Manter a urina refrigerada durante todo o procedimento de coleta.
- Não é necessário aumentar a ingestão de líquidos, exceto sob orientação médica.


Utilidade


Este teste, devido as variações de dieta, filtração, reabsorção renal
e síntese hepática, é pouco útil na medição da taxa de filtração
glomerular, sendo mais usado na medida da taxa de produção de ureia e
na avaliação dos compostos nitrogenados não protéicos.


Material


Urina 24H + Soro


Instruções


Jejum não obrigatório.

- Refrigerar a urina desde o início da coleta.
- Não fazer esforço físico durante a coleta.
- O cliente deve manter sua rotina diária.
- Não é necessário aumentar a ingestão de líquidos, exceto sob orientação médica.
- Coletar a amostra de sangue no mesmo dia do término da coleta de urina.
- A urina tem que ser entregue no laboratorio no dia em que terminar a coleta.


Utilidade


É a principal fonte de excreção do nitrogênio. Produto do metabolismo
hepático das proteínas, e excretada nos rins. Desta forma, a ureia e
diretamente relacionada a função metabólica hepática
e excretória renal. Sua concentração pode variar com a dieta,
hidratação e função renal.


Material


Soro


Instruções


Jejum não obrigatório.


Utilidade


O exame de urina rotina é muito importante para avaliações da função renal e afecções do trato urinário, podendo auxiliar no diagnóstico e avaliação da eficácia do tratamento. O exame compreende três etapas: caracteres gerais (propriedades físicas); pesquisa de elementos anormais (pesquisa química); sedimentoscopia (exame microscópico da urina).


Material


Urina


Instruções


- Colher preferencialmente no laboratório a 1ª urina da manhã ou com intervalo de 4 horas entre as micções.
- Fazer higiene da genitália com água e sabão, secar.
- Para urina primeiro jato, colher os primeiros 10 a 20 mL de urina (não ultrapassar o volume de 20 mL).
- Para urina recente (jato médio), desprezar o 1º jato de urina e coletar o jato do meio (cerca de 30 mL).
- Para coletas realizadas em casa o cliente deve entregar a urina no laboratório em no máximo 1 hora após a coleta, em temperatura ambiente ou refrigerada.
- Usar frasco limpo e adequado (comprado em farmácia) ou preferencialmente o KIT com tubo cônico (fornecido pelo laboratório).
- Mulheres: não fornecemos e nem indicamos o uso de tamponamento (absorvente interno) para coleta de urina no período menstrual.
- Criança: Não utilizar pomadas no dia da coleta. Sempre que possível, colher no próprio laboratório tomando cuidados especiais com assepsia.
- Coleta com coletor de urina infantil: somente realizada nas dependências do laboratório.
- Manter dieta hídrica habitual.
- Não coletar urina após cliente ter ingerido dextrosol, coletar antes da ingestão ou orientar coleta no dia seguinte.


Utilidade


A solubilidade é um fator determinante do comportamento das
porfirinas. A uroporfirina é a porfirina mais solúvel em água, sendo
encontrada na urina e em menores concentrações nas fezes e sangue.
Encontra-se elevada nos pacientes com Porfiria Cutânea Tardia, Porfiria
Eritropoiética Congênita, insuficiência renal crônica e neoplasias.


Material


Urina 24h


Instruções


- Utilizar frasco protegido da luz.
- Não fazer esforco físico durante a coleta.
- O cliente deve manter sua rotina diária.
- Não é necessário aumentar a ingestão de líquidos, exceto sob
orientação médica.

- Informar volume total.


Utilidade


É a principal fonte de excreção do nitrogênio. Produto do metabolismo hepático das proteínas, e excretada nos rins. Desta forma, a ureia é
diretamente relacionada a função metabólica hepática e excretória renal. Sua concentração pode variar com a dieta, hidratação e função renal.


Material


Urina Amostra isolada


Instruções


- Colher preferencialmente no laboratório a 1ª urina da manhã ou com intervalo de 4 horas entre as micções. Fazer higiene da genitália com água e sabão, secar, desprezar o 1º jato de urina e coletar o jato do meio.


Utilidade


É a principal fonte de excreção do nitrogênio. Produto do metabolismo hepático das proteínas, e excretada nos rins. Desta forma, a ureia é
diretamente relacionada a função metabólica hepática e excretória renal. Sua concentração pode variar com a dieta, hidratação e função renal.


Material


Urina 24H


Instruções


- Refrigerar a urina desde o início da coleta.
- Não fazer esforço físico durante a coleta.
- O cliente deve manter sua rotina diária.
- Não é necessário aumentar a ingestão de líquidos, exceto sob orientação médica.
- Mulheres: não realizar a coleta de urina no período menstrual.

- Informar o volume urinário total.
- Informar horário inicial e final da coleta.


Utilidade


O vírus da Varicella zoster é responsável por duas síndromes clínicas: a catapora e o
Herpes Zoster. A catapora representa uma grande ameaça a neonatos e indivíduos
imunocomprometidos. O herpes zoster é mais comum acima dos 50 anos, sendo frequente em
pacientes com imunidade comprometida por neoplasias, uso de drogas imunossupressoras ou em
crianças expostas ao vírus no período neonatal. A presença de IgM ou alto título de IgG
correlaciona-se com infecção ou exposição recente, enquanto baixos títulos de IgG são
observados em adultos sãos. Na catapora, a IgM é detectada sete dias após o rash,
atingindo o pico em 14 dias. Quanto ao herpes zoster, a IgM aumenta em torno do 8º e 10º
dia após a erupção, com pico geralmente no 18º e 19º dia. É importante ressaltar que as
vacinações induzem a síntese de IgG, embora a grande proteção seja do tipo celular.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


Utilidade


O vírus da Varicella zoster é responsável por duas síndromes
clinicas: a catapora e o Herpes Zoster. A catapora representa uma
grande ameaça a neonatos e indivíduos imunocomprometidos. O herpes
zoster é mais comum acima dos 50 anos, sendo frequente em pacientes
com imunidade comprometida por neoplasias, uso de drogas
imunossupressoras ou em crianças expostas ao vírus no período
neonatal. A presença de IgM ou alto título de IgG correlaciona-se com
infecção ou exposição recente, enquanto baixos títulos de IgG são
observados em adultos sadios. Na catapora, a IgM é detectada sete dias
após o rash, atingindo o pico em 14 dias. Quanto ao herpes zoster,a
IgM aumenta em torno do 8º e 10º dia após a erupção, com pico
geralmente no 18º e 19º dia. É importante ressaltar que as vacinações
induzem a síntese de IgG, embora a grande proteção seja do tipo
celular.


Material


Soro


Instruções


- Jejum não obrigatório.


1 |  2 |  3 |  4 |  5 |  6 |  7 |  8 |  9 |  10 |  11 |  12 |  13 |  14 |  15 |  16 |  17 |  16 Páginas de 17
VOLTAR